Como a contabilidade ajuda sua empresa

Manter a contabilidade da sua empresa em dia vai muito além de pagar seus impostos mensalmente. Um planejamento contábil bem feito te ajuda na tomada de decisões e evita riscos desnecessários.

Se alguém fizer hoje uma pesquisa, perguntando aos proprietários de micros e pequenas empresas, se não fosse um item obrigatório ter um contador, se eles contratariam esse serviço, sem dúvida nenhuma a resposta seria um sonoro “não”. Os empresários não foram formados na base de ensino, para saber analisar um balanço, balancete, demonstração de resultado e relatórios gerenciais.

A consequência disso é a inadimplência de impostos e fornecedores, títulos protestados, desconto de cheques e boletos bancários nos bancos para antecipar recebimentos. Todas essas atitudes demonstradas pelo despreparo do empresário levam o negócio a fechar as portas.

A contabilidade e a educação financeira deveriam ser matérias escolares ou no mínimo acadêmicas. O país que quer ter a pretensão de ser grande, obrigatoriamente tem que formar os seus cidadãos para aprender a gerir a sua vida financeira e ter a capacidade de tomar decisões através de análises de relatórios gerenciais.

Um exemplo típico é quando ao perder o emprego depois de 40 anos de idade, o individuo se vê forçado a trabalhar por conta própria e assim pega o seu FGTS e abre um negócio. Porém ele só sabe fazer a atividade fim, ao qual trabalhou a vida toda. Daí resolve montar um comércio perto de casa. Ao comprar produtos para revender, não tem o conhecimento de como alocar os custos de aquisição, custos fixos e custos variáveis ao produto, para em seguida, aplicar o percentual do lucro desejado.

Além disso, não tem a mínima noção do que é “fluxo de caixa”. Então o fornecedor oferece a esse empresário um desconto para compra à vista e este empresário acredita ser uma vantagem, mas acontece que o consumidor final deseja comprar parcelado no cartão de crédito. O que acontece? As contas no final do mês não fecham e temos um prejuízo demostrado no balanço contábil.

Cuidado ao contratar um contador

Tome todos os cuidados ao contratar um prestador de serviços de contabilidade. Aqui no nosso escritório já pegamos alguns casos de empresas com problemas com o fisco, pelo simples motivo do cliente ter contratado um despachante para fazer a contabilidade ao invés de um contador.

Alguns empresários contratam serviços de acordo com o preço e isso pode ser uma grande armadilha. Solicite sempre um contrato de trabalho, com as informações completas dos serviços a serem executados e onde conste o registro profissional (CRC) de quem será o responsável técnico.

Não se preocupe apenas com a geração de impostos e a declaração de imposto de renda da empresa, pois existem inúmeras obrigações acessórias a serem cumpridas mensalmente e na ausência dessas, a multa é bem alta. Normalmente o fisco tem o prazo de até 5 anos para cobra-las e acumuladamente podem levar uma empresa a um rombo financeiro sem precedentes.

A ciência contábil fornece todas as ferramentas necessárias para planejar um negócio, antes de qualquer coisa (Quem é o meu público alvo, o que ele quer consumir, onde ele está, quanto ele quer pagar, por quanto eu devo comprar, quanto quero ganhar, como entrego o produto, quais canais de relacionamento devo ter, quem são meus fornecedores, etc.), gerir o seu negócio com eficiência, programar bem o seu fluxo de caixa, calcular a taxa de retorno do seu investimento inicial, programar estratégias de crescimento com base em relatórios gerenciais.

Saiba escolher bem o seu profissional contábil, interno ou terceirizado, trace todo o plano de negócios e demais estratégias com ele e assim todos os riscos serão minimizados e provavelmente seu negócio irá prosperar conforme programado e com a saúde financeira em dia.

Fonte: https://coworkingbrasil.org

E você? Precisa de um contador para sua empresa? Entre em contato com nossa contabilidade para assessorar você nessa jornada!

Abrindo o seu próprio negócio? Não tenha medo de pedir ajuda!

Abrir um negócio é fazer parte de uma minoria. Portanto, é hora de vencer o medo de pedir ajuda e, com isso, acelerar o progresso. Veja como!

A partir do momento em que você toma a decisão de um negócio próprio, começa a perceber que faz parte de uma minoria. Sim, empreendedores são uma exceção!

Ao olhar para os lados, fica fácil perceber que a maior parte dos amigos, familiares e conhecidos tem um emprego fixo. Por isso, o novo empresário já começa sua caminhada se sentindo um peixe fora d’água. Se vê incompreendido e sente que precisa provar que é capaz. E, assim, passa a caminhar sozinho. Você também já se sentiu assim?

O perigo desse sentimento é acharmos que temos que fazer tudo por conta própria. O medo de pedir ajuda é normal, mas pode nos transformar em uma ilha. No fundo, todos sabemos que ninguém conquista nada sozinho.

Portanto, é hora de vencer o medo de pedir ajuda e, com isso, acelerar o progresso. Veja como!

Por que pedir ajuda é importante

Especialmente no início de um empreendimento, o avanço se dá a passos lentos. Temos muito trabalho a fazer e, normalmente, pouca mão de obra. Muita gente começa sozinha, executando todo tipo de tarefa para que o negócio se torne uma realidade.

Mas você já parou para pensar que a ajuda externa pode alavancar o empreendimento, trazer novas visões e perspectivas? Por mais aterrorizante que seja, um pedido de ajuda pode nos fazer caminhar a passos muito mais largos.

Vencer o medo de pedir uma ajuda estratégica — seja a um amigo empresário ou a um consultor — pode fazer você abrir a cabeça, enxergar novas possibilidades, criar novos produtos e serviços, vislumbrar novas formas de divulgação.

Ao mesmo tempo, uma ajuda operacional — isto é, uma mãozinha nas tarefas do dia a dia — pode tirar um peso dos seus ombros. Pode desafogar sua agenda, reduzir o estresse, tornar o trabalho mais divertido e até mesmo liberar tempo para a estratégica.

Como vencer o medo de pedir ajuda

Acostume-se a ouvir “não”

Quando se trata de pedir ajuda, o máximo que pode acontecer é você receber um “não”. E um dos segredos está justamente aí: quanto mais acostumado você estiver a ouvir essa palavra indesejada, mais naturais serão os seus pedidos de ajuda.

Aos poucos, o medo de pedir ajuda vai sumindo. Além disso, percebemos que mesmo que uma pessoa não possa ajudar, ela pode indicar outra pessoa capaz de contribuir para o projeto. Por isso é tão importante dar o primeiro passo e pedir o auxílio.

Faça um mapa de competências

O mapa de competências é uma lista das habilidades necessárias para o seu negócio funcionar. Portanto, coloque no papel todos aqueles talentos que sua empresa precisa ter.

Depois, veja quais dessas habilidades você mesmo possui. Todas aquelas que você não possuir, terá que pedir ajuda a outra pessoa, caso contrário o negócio não irá adiante. Visualizar o mapa de competências nos ajuda a encarar a realidade de que não construiremos nada sozinhos e nos motiva a correr atrás do auxílio que for necessário.

Inspire-se em empresários de sucesso (e perceba como eles foram ajudados)

Aqui vale ler bibliografias e assistir filmes biográficos. Muitos dos grandes empresárioscomeçam do zero e, para isso, precisam pedir ajuda a amigos, a familiares, ao banco, etc. Mas uma coisa todos eles têm em comum: correm atrás do que querem.

Aproveite para se inspirar naquela lenda dos negócios que você admira e comece a se informar sobre as situações em que essa pessoa também foi ajudada.

Por fim, peça ajuda às pessoas certas

Todos nós temos alguns amigos ou conhecidos que adoram ajudar e que, muitas vezes, são bastante prestativos. Porém, nem sempre significa que essas são as pessoas certas nos apoiar.

O ideal é que a pessoa que está ajudando você seja especialista no que ela faz, pois assim fará com naturalidade e eficiência. E se você precisar de ajuda para definir os rumos do negócio, pode ser preciso recorrer a um mentor mais experiente. Esse mentor pode ser desde um profissional de consultoria até alguém próximo de você, desde que essa pessoa já tenha uma empresa de sucesso.

Fonte: https://saiadolugar.com.br/

Ainda está com dúvidas de como abrir ou gerenciar a sua empresa? Entre em contato com a nossa contabilidade, teremos o maior prazer em atender você e sanar todas as suas dúvidas!

 

Entenda o papel da contabilidade dentro de uma empresa

Qual papel a contabilidade desempenha dentro de uma organização e como ela trabalha. Quais são as funções e para que finalidade e contratada uma contabilidade.

Para descrever um tema tão abrangente como o papel da contabilidade é necessário o entendimento da função dela dentro da empresa. Ela tem como principal objetivo transformar e gerenciar dados contábeis da organização tornando-os utilizáveis as demais atividades tanto para finalidades internas: controle; informações; viés para ações, quanto para externas: informações a bancos; governo acionista e outros públicos de interesse.

Uma contabilidade não pode ser considerada apenas como o setor que cuida de tributos e operações legais entre empresa e prestadores de serviço, existem muito mais procedimentos que são de competência da área contábil.

O controle gerencial dos números de uma empresa dá embasamento ao rumo que ela deve tomar diante do mercado que se apresenta. Aquela que não conduz sua contabilidade por meio de profissionais especializados está de certa forma, sendo negligente com seu patrimônio, o que pode acarretar a falta de diretriz nas ações posteriores.

Atividades específicas da contabilidade

A contabilidade é quem vai auxiliar na abertura da firma. Ela que estará junto a órgãos governamentais em nome de sua instituição para assegurar que esteja em perfeitas condições para iniciar no mercado.

Hoje é possível que a contabilidade seja a base para todos os processos legais de uma empresa, sejam eles contratações, transações, fusões, outsourcing, entre outros serviços. Além disso, devem ser de seu cuidado também operações com tributos e trabalhistas como folha de pagamento, descontos, registros,emissão de notas e gerenciamento de balanços da empresa.

Toda empresa, seja ela qual for, precisa do apoio de alguém do mercado contábil, é um dos pontos cruciais para que ela cresça com bases sólidas e sucesso posterior. Não há condições de manter um negócio muito tempo sem conhecer seus dados como lucro real, ativos e passivos, além do preço dos produtos. A contabilidade pode ser uma parceira nessa empreitada e tornar sua empresa ainda mais organizada e com grandes chances de crescimento.

 

Tem alguma dúvida sobre o papel da contabilidade na sua empresa? Entre em contato conosco!

 

Fonte: http://www.blog.msbrasil.com.br/

Gestão Empresarial e a importância da Contabilidade

Não é raro ver empreendedores se esquivando das questões mais técnicas da contabilidade por as considerarem complicadas ou chatas demais.

Mas, ainda que o sonho de ter um negócio próprio possa se assemelhar a um mar de rosas para algumas pessoas, os empresários de sucesso reconhecem a importância de se debruçar sobre esses aspectos no dia a dia.

Afinal, é justamente a contabilidade que ajuda a criar as condições necessárias para que o empreendimento se sustente e possa alcançar o sucesso.

Saiba qual é a importância da contabilidade para a gestão empresarial na atualidade:

Saúde em dia

A principal vantagem de ter uma boa contabilidade é a manutenção da saúde do negócio, ou seja, o equilíbrio entre as receitas e as despesas ao longo do tempo para que a empresa possa remunerar seus sócios e cumprir suas obrigações com o governo, seus funcionários, fornecedores e clientes.

Com isso, a empresa evita problemas de relacionamento que podem colocar em risco não somente sua imagem e reputação, mas também sua operação no futuro.

Decisões estratégicas

Contar com serviços de contabilidade bem estruturados facilita a tomada de decisões sobre investimentos, contratação de pessoas, desenvolvimento de novos produtos, campanhas de marketing e outras ações que ajudam a alavancar um negócio.

Somente com a contabilidade em dia o empresário será capaz de compreender como cada uma dessas movimentações estratégicas terá impacto sobre as finanças no curto, médio e longo prazo.

Menos impostos

Sabemos que os impostos são indispensáveis para que o governo consiga oferecer as condições adequadas para que as empresas e pessoas possam conduzir suas atividades. No entanto, ninguém gosta de pagar mais que o devido.

Uma gestão empresarial com a contabilidade estruturada ajuda a avaliar o melhor regime de tributação em função do momento vivido pela empresa, assim como identificar a melhor hora de alterá-lo.

Em dia com a lei

Ainda que os empresários queiram pagar menos impostos, adotar a contabilidade como aspecto fundamental do negócio também garante que a empresa cumpra com suas obrigações junto ao governo, evitando gastos elevados por multas e atrasos.

Organização impecável

Muitas empresas fazem controles contábeis apenas para constar. Por isso, um dos grandes benefícios da contabilidade bem feita é a capacidade de uma empresa manter controles rigorosos como o balanço, o fluxo de caixa, capital de giro entre outros.

Essas ferramentas ajudam o empreendedor a visualizar um retrato mais preciso da situação vivida pelo negócio e identificar oportunidades para alavancá-lo.

Vale lembrar que o Brasil é um país em que as carências estruturais colocam as empresas em desafios diários para sobreviver e manter a competitividade. Em um cenário como esse, a contabilidade é uma peça fundamental para que os empreendedores encarem os obstáculos de forma preparada e não percam a capacidade de operar, mesmo nos períodos de turbulência.

Ainda que sua empresa não tenha uma equipe estruturada para desenvolver um trabalho como esse perfil, isso não significa que não ela não possa buscar parceiros especializados no mercado para resolver o problema no dia a dia.

E você empreendedor, como tem cuidado da saúde financeira da sua empresa? Encontra muitas dificuldades?

 

Conte com a gente! Entre em contato com nossa contabilidade.

 

Fonte: http://www.portaldecontabilidade.com.br/

Ferramenta Estratégica: saiba como utilizar a Contabilidade Gerencial

Muitos empreendedores têm dificuldade de gerir o negócio.

Em diversos casos, a falta de conhecimento de termos técnicos a respeito da administração e da contabilidade é um dos principais problemas.

Se você se encaixa nessa situação, saiba que precisa aprender o que é contabilidade gerencial.

Dessa forma, terá mais sucesso ao tomar decisões e poderá visualizar a saúde financeira do seu negócio de maneira mais clara e objetiva.

Mas o que é essa ferramenta? Antes de entender, é preciso compreender que, de maneira mais ampla, a contabilidade analisa o patrimônio da organização, suas variações e fenômenos.

Assim, a contabilidade analisa os fatos que impactam o patrimônio da empresa, oferecendo dados que servem para a tomada de decisões mais assertiva. Então, chegamos à seguinte questão:

O que é a contabilidade gerencial?

É aquela cujo objetivo é permitir a elaboração de relatórios voltados para o público interno.

Ou seja, nesse caso, o intuito não é fornecer dados para as partes interessadas externas.

Em outras palavras, podemos dizer que esse tipo de contabilidade é uma ferramenta que apresenta um resumo das informações fornecidas à alta direção da organização.

Isso significa que os documentos gerados são utilizados por gestores, diretores e pelo próprioempreendedor, que tem acesso ao detalhamento de todos os recursos financeiros disponíveis, da geração de receitas, da saúde financeira da empresa (considerando as contas a pagar e a receber), entre outros elementos necessários para uma gestão eficiente.

Por isso, podemos dizer que esse tipo de contabilidade está voltado para o controle, o planejamento e a tomada de decisão, devendo ser ajustada conforme a necessidade da empresa e as inovações tecnológicas, assegurando que os dados sejam bastante assertivos.

Qual é o objetivo da contabilidade gerencial?

O principal objetivo dessa ferramenta é fornecer subsídios para a tomada de decisão. Por isso, ela assegura que as informações corretas serão repassadas no momento certo para as pessoas adequadas.

Isso é feito por meio da coleta, resumo e análise da informação.

Ou seja, os dados reunidos com essa estratégia são compilados e analisados, servindo como um orientador para os gestores.

A partir das informações, eles podem identificar falhas e oportunidades, ajustando o que for necessário.

Outro objetivo é a organização do sistema de gestão, fazendo com que os gestores conheçam todos os fatos que ocorreram na organização e os resultados que eles causaram.

Portanto, a contabilidade voltada para o lado gerencial está destinada principalmente a:

  • Projetar o fluxo de caixa;
  • Analisar indicadores;
  • Calcular o ponto de equilíbrio (ou seja, momento em que as receitas e as despesas são equivalentes);
  • Determinar custos-padrões (custo que deve ser perseguido, tendo sido definido antes do custo efetivo; é um ideal);
  • Fazer o planejamento tributário;
  • elaborar e controlar o orçamento.

Como essa estratégia pode fazer a diferença no seu negócio?

Como essa ferramenta pretende fornecer informações atualizadas para a tomada de decisão, fica claro que ela é importante para qualquer empresa.

Afinal de contas, qualquer informação necessária para a gestão pode ser obtida por meio dessa ferramenta estratégica.

No entanto, existem alguns benefícios bem claros que podem ser especificados. Veja quais são eles:

  • Aumento da eficiência das funções de gerenciamento;
  • Auxílio na tomada de decisão estratégicas e fixação de preços;
  • Melhoria na previsão financeira;
  • Maior controle de desperdícios;
  • Melhoria da comunicação entre os gestores e diferentes níveis de gerenciamento;
  • Controle do custo de produção, facilitando a elevação da porcentagem de lucro.

Quais são as dicas para adotar essa ferramenta?

Para que apresente dados confiáveis que podem ser utilizados estrategicamente, a ferramenta gerencial deve ser integrada a outros elementos, como a contabilidade de custos e outros processos financeiros e contábeis que estão relacionados ao orçamento e ao planejamento da organização.

Dessa forma, você pode encontrar alternativas de soluções para os problemas e achar todas as informações fiscais de que necessita.

Além disso, esse tipo de contabilidade apresentará melhores resultados se você analisar os relatórios regularmente. Afinal de contas, de nada adianta ter um monte de dados em sua mão e não analisá-los.

É importante ressaltar que o relatório deve ser montado com base no orçamento, que, por sua vez, deve ser elaborado a partir de dados históricos e previsões contábeis.

Além disso, é importante se atentar a outras dicas. Confira a seguir:

Contabilize as contas bancárias

Elas devem estar “fechadas” e conterem seus extratos.

Possíveis diferenças devem estar demonstradas e não podem afetar o regime de competência (aquele em que a transação é registrada na data em que ocorreu).

Nesse caso, são admitidas somente as pendências bancárias, por exemplo, cheques não compensados ou débitos e créditos que devem ser ajustados.

Por outro lado, juros e encargos de financiamento, por exemplo, devem estar contabilizados.

Armazene dinheiro para férias e 13º salário

Todos os meses devem ser feitas as provisões de férias e 13º salário, baseando-se em relatórios do setor de recursos humanos.

Isso é importante porque a ausência de suprimento mensal vai distorcer os relatórios contábeis por causa do regime de competência.

Faça a contagem com base no patrimônio

As depreciações, exaustões e amortizações devem ser contabilizadas conforme o controle do patrimônio da empresa.

Registre os tributos junto com o fato gerador

O fato gerador é a ocorrência do tributo em si, que onera o contribuinte (pessoa física ou jurídica).

No caso das empresas que usam a ferramenta gerencial, os tributos devem ser gerados junto com o fato gerador, fazendo-se a provisão para o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e para a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Isso deve ser feito de acordo com o regime tributário adotado pela organização (lucro presumido, real ou arbitrado).

Contabilize os custos das obras

Essa dica é válida para as empresas que atuam com atividades imobiliárias.

Para essas organizações, os custos orçados das obras devem ser contabilizados.

Vale a pena lembrar que cooperativas e instituições financeiras também requerem a realização de ferramentas contábeis específicas.

Reconheça receitas, despesas e custos

O regime de competência, quando aplicado à contabilidade voltada para o lado gerencial, precisa reconhecer as receitas, as despesas e os custos.

Isso permite fazer uma análise adequada das informações financeiras, identificando as transações no momento em que elas ocorreram e desconsiderando o fato de terem (ou não) sigo pagas ou recebidas.

É importante lembrar de que a legislação brasileira reconhece somente o regime de competência.

Quais recursos contábil-gerenciais podem ser adotados?

Enquanto gestor, você também deve compreender muito bem quais são os recursos contábil-gerenciais que podem ser utilizadas para que essa ferramenta seja mais eficaz. Veja quais são eles a seguir:

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa deve apresentar as entradas e saídas de recursos em determinado período de tempo.

No entanto, quando falamos nesse tipo de contabilidade, é importante destacar que o controlador deve conhecer todos os elementos que estão relacionados, como contas a pagar e a receber, compras de matéria-prima e materiais secundários, pagamento de salários etc.

Tendo essa visão mais ampla, ficam bem evidentes quais são os custos fixos e os variáveis, o que ajuda na tomada de decisões.

Custeio direto ou variável

Esse é um método que considera somente os custos variáveis que incorreram no produto durante sua produção.

Ou seja, o custeio direto ignora os custos fixos, porque eles são encarados como despesas já que existem mesmo que não haja produção e vendas na empresa.

Assim, evita-se a ocorrência de distorções ao apurar os custos.

Custeio por absorção

Diferentemente do custeio direto, esse método considera todos os custos, incluindo os variáveis, os fixos, os diretos e os indiretos.

Assim, é repassado para o produto todos os custos de produção, porque eles devem ser absorvidos pelas mercadorias.

Essa é uma boa ferramenta para auxiliar na definição de preços, por exemplos.

Orçamento

Derivado do planejamento da gestão, o orçamento é relativo às receitas e às despesas que a organização deverá ter em determinado período de tempo, que pode ser de um mês, três meses, um semestre, um ano, três anos etc.

É importante que, ao estabelecer o orçamento, a empresa determine objetivos e metas que devem ser atingidos naquele período.

Assim, é possível acompanhar ao longo do tempo e verificar se os objetivos estão sendo atingidos. Dessa forma, também é possível avaliar o processo de gestão.

Conclusão

Por ser uma ferramenta estratégica voltada para o direcionamento à tomada de decisões, esse tipo de contabilidade pode contar com a ajuda de sistemas de informação gerenciais, que poderão organizar e fornecer dados mais assertivos.

Assim, os gestores podem analisar e ter acesso a informações recentes e que repassam um verdadeiro status da situação financeira da organização.

O resultado principal, no entanto, reflete-se no conhecimento dos gestores, que identificam as ações que precisam ser tomadas para que as metas estabelecidas sejam alcançadas, impactando positivamente nos lucros da organização.

Agora, você sabe quais ferramentas de gestão podem ser usadas na sua empresa? Se você ainda não conhece, aproveite e leia o nosso post sobre as ferramentas de gestão 

Assim, você vai aplicar não só a contabilidade gerencial na sua organização, mas obter muito mais vantagens para controlar as finanças e as operações.

Fonte: https://saiadolugar.com.br