Gestão contábil: de que forma a sua empresa pode crescer

Cresça independentemente do que aconteça, mas nunca se esqueça da gestão contábil para definir a melhor estratégia para o crescimento da sua empresa

Expansão empresarial, o ato do crescimento da sua empresa. É tudo o que qualquer empresário espera. Mas você sabia que muitos crescimentos são os pontos de convergência para que a empresa entre num drástico declínio posterior. Crescimento anda de mãos dadas com constância, e de nada adianta um crescimento bombástico quando a empresa passa a caminhar ao ostracismo. Por isso a importância da gestão contábil, que utiliza-se de métodos de contabilidade para uma melhor gestão comercial, e um crescimento fruto de um ótimo controle.

Toda expansão carrega formas de ser conduzida, e é por isso que a gestão contábil atua utilizando-se das ferramentas de contabilidade no auxílio da gestão da sua empresa, sabendo que cada macaco tem seu galho e cada empresa tem sua determinada segmentação e forma de se trabalhar.

Cabe, então, a empresa ter o auxílio próximo da gestão contábil, que assegurará uma maior segurança em sua tática empresarial.

Nesse contexto, vamos a mais um texto que tem como intuito abordar o crescimento da sua empresa.

Abrir uma nova unidade da empresa

Todo empresário que tem a oportunidade de crescer, pensa em abrir uma nova unidade da sua empresa. Uma filial para o seu negócio pode ser uma grande possibilidade de dobrar o seu lucro no final do mês, mas precisa ser visto com cautela na mesma medida. A contagem não é apenas a possibilidade de lucro vezes dois, pois a realidade de cada negócio é relativa, independentemente de ser a filial da mesma empresa.

Outra questão é a condição de trabalho, já que, esse sim é multiplicado por dois e o seu contingente material, seja no que diz respeito a físico ou humano, precisa dar conta por esse crescimento proporcional. É aí que podemos sentir a importância da gestão contábil, na questão organizacional da empresa, fruto do seu sistema de análise de dados de forma técnica.

Abaixo as formas na qual a gestão contábil pode auxiliar no crescimento da sua empresa.

  • Qual a proporcionalidade do lucro da sua empresa?
  • Certifique sobre moldes de campanhas externas a sua empresa para que você saiba quais as formas de crescimento da sua empresa;
  • Plano de negócios integral;
  • Montagem do ambiente físico de forma estratégica. Pense no seu público-alvo, no fluxo de pessoas e na forma que o local onde a nova unidade da sua empresa ficará endereçado vai ser impacto de forma positiva;
  • Busque sempre estar lado a lado com as inovações tecnológicas.

Abrir franquias

Um paralelo ao abrir novas unidades da empresa, assumindo um risco de forma individual, é encontrar parceiros, empresários (de preferência de médio e pequeno porte) para franquiar o seu negócio. Mas é importante que, nesses casos, você não assuma o risco escolhendo qualquer empresa, mas, sim, de preferência pessoas conhecidas ou na qual você conheça o tipo de trabalho prestado. E a tendência é que essa decisão de franquiar seja um grande benefício para ambas as partes.

Cabe a gestão contábil auxiliar na questão legal e burocrática para que todas as partes venham a contribuir e ganhar algo dentro do acordo.

Confira os cuidados que a gestão contábil tende a tomar no processo de acordo de franquia.

  • A gestão contábil tem que estar atenta no controle de qualidade do processo da empresa, para que nada venha dar brecha para que a sua empresa venha ser criticada;
  • Sempre esteja do lado dos tradicionais TI. A tecnologia da informação já deixou de ser o futuro faz tempo, e a gora é o presente do empreendedorismo;
  • Principal parte da gestão contábil em qualquer empresa é o planejamento, com a construção da dados para que todas as partes venham estar conscientes dos direitos e deveres bilaterais para a saúde da empresa.

Independentemente de franquiar ou apostar na filial, o trabalho será árduo. Não existe caminho fácil, mas existe a gestão contábil, para auxiliar a sua empresa em todos os momentos.

Contabilidade pessoal: situações onde não demitir um funcionário

Saiba quais são as situações onde qualquer funcionário de qualquer segmento não pode ser demitido, de acordo com as normas padrão da lei

Contabilidade pessoal é para muitos empresários um serviço descartável, entretanto, ao se deparar com questões legais no que tange as demissões de funcionários, o serviço passa a demonstrar o seu devido valor. Até mesmo os funcionários, muitas vezes resguardados por lei, não aproveitam o fator constitucional por falta de conhecimento em contabilidade contábil.

A demissão é um fator que, mais hora ou menos hora, o empresário vai precisar usar, seja por questões técnicas, estratégicas ou por mera necessidade, contudo ele precisa estar por dentro de tudo o que está acerca das normas legais, e para isso a contabilidade pessoal trás um grande suporte de conhecimento à empresa.

Esse artigo possui uma base das informações conceituais de contabilidade pessoal no que se diz respeito a demissões, levando em consideração fatores que independem de segmento de mercado, mas apenas de resguardo empresarial.

Aposentadoria

Aposentadoria é costumeiramente um assunto delicado quando falamos de normas legais que acampam o empresário. Ela independe das questões de integralidade ou de proporcionalidade, mas possui um adendo, depende da categoria empresarial e das suas normas coletivas internas.

Nesses casos, o funcionário que esteja num prazo de 12 a 24 anos (depende da categoria) desde a entrada da aposentadoria até o prazo de definição está estabilizado por essa questão, sendo a única ressalva uma possível demissão por justa causa.

Dissídio

Nos casos de dissídio, a legislação está definida da seguinte maneira: “O empregado dispensado, sem justa causa, no período de 30 (trinta) dias que antecede a data de sua correção salarial, terá direito à indenização adicional equivalente a um salário mensal, seja ele optante ou não pelo FGTS”.

Essa situação dá ao empresário um resguardo de 30 dias ates da data da convenção coletiva que discute e define o reajuste salarial da sua categoria.

Se por ventura o empresário não cumprir com essa regulamentação e demita algum funcionário, caberá a ele cumprir legalmente com a multa de “estabilidade do dissídio”.

Dentro da Lei do Aviso Prévio, cada um ano trabalhado pelo funcionário garante à ele três duas de estabilidade, proporcional ao tempo de trabalho dele na empresa.

Acidente de Trabalho

De acordo com as normas legais, o acidentado de trabalho tem resguardado um ano de estabilidade em sua empresa, desde a data do acidente, fazendo parte ao auxílio doença previsto legalmente ao colaborador.

Os primeiros 15 dias são pagos pelo empregador, a partir daí quem arca com os custos do funcionário acidentado é  o INSS, dentro do pedido de auxílio-doença do trabalhador.

Caso o funcionário pare de trabalhar durante um período superior a 15 dias e não entrar com o pedido de auxílio-doença, ele não terá os seus direitos de recebimento legais, tendo, assim, obrigatoriamente ter que dar entrada em suas possibilidades legais.

O funcionário também terá direitos legais de auxílio-doença e resguardo empresarial, caso contraia alguma doença em pleno exercício do seu trabalho.

Gestação

Outro motivo que resguarda o funcionário é a gestação esse resguardo parte do momento da descoberta da gravidez e se mantém cinco meses após o parto.

Caso o empregador não tenha conhecimento da gestação, é obrigado a reintegrar a funcionária ao seu quadro ou indenizá-la proporcionalmente.

A empregada que ficar grávida durante o contrato de experiência ou durante contrato determinado também terá direito a estabilidade.

Aborto involuntário

Situação delicada, onde a gestante sofre aborto espontâneo e possui toda a estabilidade empresarial que resguardam a sua recuperação dentro do tempo necessário.

Documento coletivo

A estabilidade de determinada categoria pode ser resguardado dentro de um documento coletivo que garante emprego em seu segmento e estabilidade para situações específicos, como, por exemplo, a já citada aposentadoria.

O ponto de virada no crescimento da sua empresa

Onde detectar o ponto de virada da sua empresa e como a contabilidade pode ajudar nesse processo de transição de patamar

Quando tratamos de uma empresa, identificar onde está a virada na transição do porte do projeto é bastante complicado para nós, meros mortais e pessoas físicas que acompanhamos a construção do projeto desde o início. Muitos sinais devem ser dados para nos alertarmos que chegou o momento da empresa dar um passo a frente, mudar de patamar, enfim. Mas isso não é o suficiente. Para se colocar em prática é preciso um movimento estrutural para que essa chave não seja tirada do contato fazendo com que o carro pare.
Cabe, então, a identificação dos pontos de virada de patamar da sua empresa, para que, de antemão, você tenha planos estratégicos desenvolvidos para essa circunstância. Afinal, que empresário que monta uma empresa e não tem nenhuma expectativa em crescer, convenhamos…

Autoavaliação

Para analisar internamente a sua empresa, o artigo fará referência com uma música da escola da MPB brasileira, onde o ex-Titã, Nando Reis, em uma das suas obras solos mais conhecidas, dá o título a uma canção que questiona onde ele andou. A música “Por onde andei”, de Nando, pode ser analisada morfologicamente, numa cosmovisão empresarial, muito embora sabemos que não é esse o intuito da música.

“Desculpe, estou um pouco atrasado, mas espero que ainda dê tempo de dizer que andei errado. E eu me lembro das suas queixas tão justificáveis e a falta que eu fiz essa semana, coisas que pareceriam óbvias até à uma criança. Por onde andei, enquanto você me procurava?…”, e assim constrói-se a poesia.

Como podemos ver, principalmente no refrão, há uma autoanálise e um reconhecimento de erros. Mas o ponto de encontro entre a obra e a realidade empresarial não para por aí. Para virar chaves e reparar no ponto de transição do crescimento da sua empresa, muitos dos hábitos relatados pela canção precisam ser consertados pela gestão da empresa, a começar pelo empresário.  O pedido de desculpas, o recomeço, o conserto e o olhar para dentro de um contexto da empresa como um todo são essenciais para que o empresário tenha sucesso em sua jornada. Um verdadeiro líder sabe reconhecer erros e trazer essa música para si e entender que coisas que pareceriam óbvias para uma criança foi uma pedra de tropeço no próprio joelho, pode gerar, dentro desse feedback um cenário muito importante.

Lidando com a virada

Cabe ao próprio empresário chegar a esse ponto de virada, mas a sua identificação é realmente bastante complicada para quem vive o processo diariamente. Mas a forma com que a empresa é organizada desde o princípio trabalha bem metas e fases que culminam numa mudança de patamar. Nesse momento, cabe uma reunião geral com a sua equipe para revisão de tarefas, releitura de desempenho para reorganizar as funções e potencializar qualidades de acordo com o novo patamar da empresa, pra não haver retrocesso.

Serviços de contabilidade possuem importância estratégica para empresa, apresentando figuração detalhada de desempenhos e afins para que a empresa venha ter noção onde e como explorar e não fazer do ponto de virada um ponto de declínio posterior para empresa. Queimar etapas é bastante perigoso nesta situação.

A importância contábil 

Para que a sua empresa venha dar os saltos necessários para esse ponto de transição, a figura da contabilidade se torna muito importante e vai além da sua obrigatoriedade legal. Pontos de definição de estratégias, gestão e consultoria contábil para que você venha saber por onde andou são fatores fundamentais para que a sua empresa venha perpetuar o sucesso profissional, encontrando uma série de pontos de transição de sucesso.

Gestão contábil: Benefícios e riscos do crescimento da sua empresa

A gestão contábil e o ponto de convergência entre os benefícios e riscos dos crescimentos da sua empresa

Não importa o ramo ou o segmento do empresário, todos eles almejam o crescimento das suas empresas, e com razão. O problema não é crescer, mas, sim, como dará esse crescimento, o que não é como um passe de mágico, mas exige todo uma estratégia e muita transpiração.

Por possuir pontos positivos e negativos, a gestão contábil é importante por organizar e contextualizar as estratégias para que a empresa venha crescer.

Justamente por isso, esse artigo foi feito. Empresários podem arcar com riscos, mas precisam saber necessariamente como arcá-los.

Principais riscos

Crescer é um processo que exige muito de toda a empresa. Conviver com riscos nunca é fácil, mas é necessário que a empresa tenha essa noção. Em conjunto com a gestão contábil, a sua empresa pode, então,  se precaver desses riscos. Os principais dele, nos moldes de crescimento, são:

Perda de foco

A sua empresa nasce com um foco específico, mas na medida do seu crescimento você vai notando alguns rumos que ela tem que seguir. Essa expansão pode ocasionar que ela deixe a suas raízes. Claro, o universo empresarial é cíclico, por isso cabe à gestão contábil fazer esse balanço das coisas da cultura inicial que não podem ser abertas mão, mas o compasso dos tempos que a empresa precisa seguir.

O mundo dos negócios dilui algumas visões e nos faz decidir por prioridades nos nossos percursos. Essas situações, embora perigosas, são fundamentais para a construção do caráter da empresa.

Ônus

Os dois principais ônus quando uma empresa cresce são os fatores financeiros e de fôlego. De modo geral, as duas questões são bem delicadas para a manutenção do alto nível do projeto. Muitos podem colocar o fator financeiro a frente, até mesmo por fator e subsistência do negócio. Mas o capital sem a motivação, também não gera resultados expressivos, condizentes com a realidade de uma empresa em crescimento constante.

Cabe a gestão contábil fazer uma organização técnica em esferas, focando primeiramente dentro do que é a sua especialidade, o fator financeiro. No Brasil, os empresários sofrem com as questões tributárias e isso faz com que a sobrevivência das empresa em meio ao luro líquido e o seu capital de giro sejam muito pequenas. Independentemente disso, entrar empréstimos e demais tipos de compensações financeiras não pode ser uma opção. Empresas enroladas no fator finanças tendem uma grande montanha pra atravessar antes de crescer.

Então, cabe a gestão contábil montar estratégias de orçamento e conduzir a equipe para um processo organizacional que os motivo e os façam render.

Benefícios x riscos

Desafios existem em todas as esferas da vida, não só num âmbito empresarial. Na balança, é claro que os riscos saltarão aos olhos do empresário mais fortemente do que os benefícios, mas no final do processo, quando vemos os resultados, aos poucos, na empresa, o sinal de que tudo valeu a pena é incrível.

Mas para que todos os benefícios, quando colocados na balança, pagarem os riscos é importante que você e a sua empresa entrem na batalha confiantes e a gestão contábil, por meio de toda estrutura, é fator forte nos bastidores para que, organizada, a empresa venha ter muito sucesso.

Contabilidade para prestadores de serviço

No Brasil, os serviços de contabilidade são muito importantes para empresas de prestação de serviço e prestadores de serviços individuais, confira

A figura do contador foi por muito tempo colocada de lado pelas empresas de prestação de serviço, contudo, o Código Civil nacional fez com que a contabilidade para prestadores de serviço fosse algo imprescindível, isso porque uma vez por ano toda empresa presa apresentar o seu balanço.

Contudo, o balanço periódico é a função mínima que uma empresa de contabilidade pode apresentar em uma empresa de prestação de serviços, muitas outras ações estratégicas podem ser apresentadas pelo escritório contábil para o crescimento da sua empresa.

Vamos a alguns pontos iniciais que demonstram a importância da contabilidade para prestadores de serviço:

Burocracia: com o suporte de uma contabilidade, esse processo é simplificado e reduzido;

Custo-benefício: com o acompanhamento, o planejamento contábil garantirá que o dinheiro do empreendedor não será desperdiçado;

Operacional: é um trabalho que não se limita a abertura da empresa, mas se estende em todo o processo de vida contábil que ela pertence.

A primeira relação entre prestadores de serviço e contabilidade

A primeira relação entre prestadores de serviço e contabilidade está no CNPJ. Porém, alguns prestadores de serviço atuam dentro da informalidade e não possuem o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica e a sua atuação como pessoa física derruba a obrigatoriedade do suporte do contador. Porém, essa economia muitas vezes podem ser o barato que sai caro e essa negligência contábil pode embarreirar, e muito, suportes de desenvolvimento que gerarão bons retornos com poucos esforços. É aí que a relação custo-benefício vai para o buraco.

Regimes tributários

Dependendo do porte da empresa, ela pode se enquadrar no Simples Nacional (microempresa) ou, se o seu porte for maior, na definição entre Lucro Real e Lucro Presumido, que alterará apenas na questão de arrecadação de imposto.

Com uma contabilidade dando suporte ao prestador de serviço, o tiro será dado de forma certeira, ou seja, a empresa se enquadrará ao porte tributário que mais se adequa a sua realidade, recolhendo impostos, também, na medida da sua realidade financeira. Não ter o suporte do profissional contador nesse processo é como jogar uma moeda para o alto e torcer para dar certo, o que não faz sentido quando uma contabilidade pode estar ao seu lado dando total suporte.

A importância da contabilidade para os prestadores de serviço

Impostos. Essa palavra define a importância da contabilidade para os prestadores de serviço. PIS, COFINS, ISS, ICMS, IRPJ, CSLL, contribuições previdenciárias, enfim, são tantos encargos de impostos para o prestador de serviço no Brasil que se não tivermos uma contabilidade dando suporte, nos perderemos, já que esses impostos variam com a finalidade da empresa, bem como a quantia (por exemplo, o ISS varia de 2 a 5% dependendo da área), a região etc.

O que não varia é algo: tem impostos. E se dividir entre a prática do seu negócio e tais burocracias é uma loucura sem precedentes. Por isso que a contabilidade é importante, pois em uma condição jurídica, deixa a empresa mais tranquila e focada em desempenhar suas funções de ofício.

Além disso, é por meio de dados estratégicos levantados pela contabilidade que os prestadores de serviço podem tomar determinadas ações técnicas da empresa, por exemplo.

Enfim, a importância da contabilidade para os prestadores de serviço são inúmeras e muito importantes para que você e/ou a a sua empresa parta para o sucesso.