O e-social mudou a estrutura, saiba onde entra a assessoria contábil pra ajudar

A assessoria contábil será fundamental à sua empresa após as mudanças estruturais do e-social, nos setores trabalhistas e de RH

Empresários de plantão, vemos que é chegada a hora de vocês colocarem para funcionar vossas assessorias contábeis, isso porque no início do segundo semestre de 2018 ocorreu a segunda metade das alterações do e-social, projeto governamental que unifica os principais órgãos púbicos empresariais do Brasil, a Receita Federal, o Ministério do Trabalho, o INSS e a Caixa Econômica Federal.

Essas alterações atingiram, inicialmente, empresas de cunho privado, mas com um aporte financeiro de 78 milhões de reais anuais. Agora, no final do ano, será a vez de MEIs (Microempreendedores individuais) e pequenos empresário passarem por esse processo de adaptação do e-social.

Mesmo com o processo de alteração iniciando na entrada do segundo semestre de 2o19, cabe aos pequenos e médios empresários começarem a se estruturar comercialmente para se adequarem às mudanças propostas pelo governo. É quando entra a assessoria contábil, sempre importante em períodos de mudança brusca no mercado. Ter uma assessoria contábil adequada ao lado da sua empresa auxiliará o processo de planejamento e adaptação, principalmente aos cursos sociais e humanos.

Assessoria contábil: dados

De acordo com as contas do Governo Federa, 1 milhão de empresas aderiram a nova modalidade do e-social até agosto de 2018. Isso significa que a assessoria contábil, por meio desses dados, terá que nortear ações de adaptação da sua empresa, direcionando o que deverá ser mudado ou as ações que precisarão ser mantidas no seu negócio.

Entretanto, o número expressivo de adesão de empresas ao e-social, embora seja importante, não significa tranquilidade dos empresários nesse processo de mudanças, até porque mudança nunca é algo muito bacana para quem já está “confortável” em sua posição e terá que se adaptar, o que para os pequenos e médios empresários significa adequar-se as novas regras de RH e do setor trabalhista, que tem sido até mais complicada do que lidar com os fatores de implementação digital.

Exatamente por isso, a segurança dada pela assessoria contábil é tão importante nesse momento de transição de metodologia.

Assessoria contábil e as mudanças do e-social

Juntamente com as mudanças do e-social, está um grande investimento em tecnologia vindo a partir da Receita Federal. Essa tecnologia terá como função ter um banco de dados com as informações trabalhistas de todas as empresas, independentemente do seu porte.

Cabe, então, a assessoria contábil, a partir dessas mudanças, estar a par delas e preparar a empresa aos processos de fiscalização quanto ao fator humano –  RH e setores trabalhistas.

Para auxiliar a assessoria contábil, todas as informações trabalhistas estarão ligadas em um sistema de informação direcionado diretamente ao e-social, o Confirp Digital.

Assessoria contábil: parte prática

Com a nova onda do e-social, dinamizando e automatizando o máximo possível as ações empresariais, a assessoria contábil organizará e estruturará a sua empresa para que as ações da Receita não venham interferir de forma direta negativamente o seu negócio.

É nessa hora que os tais fatores humanos virão a tona, muito mais do que as plataformas automáticas incorporadas ao e-social. Embora toda a alteração que atrele as execuções de serviço ao meio digital sejam acompanhadas por diversas ressalvas, dessa vez as mudanças do e-social resultaram em reclamações práticas. A alteração no fluxo de trabalho dos responsáveis pelos recursos humanos e setores trabalhistas precisa ser bem organizada pela assessoria contábil para não gerar nenhum tipo de dano à empresa.

Por fim, num fator de organização, a assessoria contábil é importante em qualquer aspecto da empresa. Em situações de alteração drástica, como a do e-social, a necessidade da assessoria contábil é ainda maior.

Consultoria contábil: o auxilio para o relacionamento com os seus clientes

O processo de consultoria contábil o ajudará saber efetivamente quem são os seus clientes, para que você adeque a sua performance ao perfil do seu público-alvo

Manter o relacionamento sempre saudável com o seu cliente é fundamental. Isso porque ele é o seu maior patrimônio. E é por meio da fidelização dele que a sua empresa tende a ganhar espaço no mercado. O gerenciamento da consultoria contábil tende auxiliar muito nesse processo de relacionamento da sua empresa.

Para que você saiba onde a consultoria contábil pode interferir diretamente na sua empresa, confira as dicas que serão dadas neste artigo.

1. Cliente ideal

A consultoria contábil terá em mãos dados estratégicos que auxiliarão a sua empresa ter a visão do cliente ideal do seu negócio. Idade, hábitos, gostos etc. Claro que não é vias de regra, mas permite avaliar o público-alvo da empresa e o processo de relacionamento que ela deverá utilizar com os seus clientes.

Próximo da proximidade do perfil ideal do seu cliente, a consultoria contábil interfere diretamente no processo de fidelização do cliente incutido no relacionamento. É antevisão dos seus gostos com ações que o atraia e gere retorno para a sua empresa.

2. Conheça com quem você lidará

No processo de teorização do relacionamento com o cliente, a consultoria contábil, contando com o planejamento por meio de dados, promoverá a disponibilização de conteúdos onde o seu cliente pode estar transitando. Fóruns, sites, tendências, serão retiradas pela consultoria contábil para que você sempre esteja a par dos gostos e da realidade dos seus clientes.

3. Jornada do cliente

Sabendo profundamente quem é a sua persona e o que trás ela para próximo da sua empresa, fica mais fácil para saber cada etapa com que ela chegará até a compra, a chamada jornada do cliente. A consultoria contábil, ainda por meio dos dados e pesquisas de mercado feita pode prescrever passo a passo onde o seu cliente pode chegar.

4. Comece a colocar em prática

Saindo dos conhecimentos teóricos e levando as informações obtidas por meio da consultoria contábil para a prática, o primeiro fator a ser colocado em prática para que a empresa se comunique e se relacione melhor com os seus clientes é uma boa experiência de atendimento. Por estar a frente dos pensamentos do cliente, você pode usar deste subterfúgio para deixá-lo acima das suas expectativas na primeira comunicação.

5. Fidelize

Relacionamento é fidelização. A etapa da consultoria contábil para a sua empresa é eterna, já que uma vez cliente, o processo pós-venda entrará em ação. Um bom suporte, sistema de descontos exclusivos para quem já é cliente e uma marcação serrada por meio das redes sociais,, newsletters etc (sem ser invasivo, é claro) é ótimo para manter o seu cliente próximo, o que interferirá diretamente no trabalho de construção da persona da empresa, por meio da assessoria contábil.

7. Humanização

Independentemente de todo o processo de mentalização e antevisão dos desejos e necessidades do seu cliente, o melhor fator para que você se aproxime dele é a boa e velha humanização. Se colocar no lugar do seu cliente é muito importante para atrair resultados positivos.

Contabilidade gerencial: pontos positivo s e negativos da sua empresa

Planejamento, organização e profissionalização, saiba aonde você está mandando bem e aonde você está mandando mal na sua empresa, por meio da contabilidade gerencial

O equilíbrio entre a confiança e o reconhecimento de auxílio é um bom caminho andado para o sucesso da sua empresa. A sua empresa precisa da parceria da contabilidade gerencial, já que, embora você tenha o conhecimento técnico, a contabilidade vai agregar os fatores organizacionais ao seu serviço.

Um grande fator a se observar é que, segundo o SEBRAE, 25% das empresas não completam um ano e acabam fechando. Ter uma contabilidade gerencial para auxiliar cada etapa do desenvolvimento do negócio seria um fator para evitar cada um desses fechamentos.

Com a contabilidade gerencial, a sua empresa passará ater consciência gerencial para avaliar o patamar em você está no mercado e até onde ela poderá chegar em seu segmento. Missão, mercado, recursos, despesas, operação tributárias e demais fatores relacionadas a fatores financeiros estarão sob domínio de planejamento conjunto da sua empresa com a contabilidade gerencial.

No ponto

Com uma cultura de planejamento, a contabilidade gerencial acrescentará esses métodos de planejamento de negócios desde o início da sua empresa, trazendo à identidade da sua empresa uma atenção especial a cada etapa.

Sempre em conjunto com a contabilidade gerencial, a ideia é que a sua empresa tenha a demonstração de um plano de negócios que diga, de forma realista, onde está e para onde vai a sua empresa, passando por cada etapa do projeto. Aí está a importância da contabilidade gerencial, justamente para firmar essa parceira em conjunto com a empresa, definindo segmentação, público, produto e ações serão definidas.

A contabilidade gerencial, participará ativamente da movimentação financeira da empresa.

Controles administrativos para perspectivas de movimentação monetária, com entradas, saídas, gestão de finanças, estratégias etc, fazem parte do controle administrativo e estão totalmente atrelados a contabilidade gerencial, também.

Fora do ponto

É importante que a empresa se atente em melhorar as suas falha, sem agravá-las. A contabilidade gerencial servirá, então, para fazer esse meio de campo e evitar ruídos internos da sua empresa que venha prejudicar o processo de trabalho.

O planejamento será melhor estruturado por meio da contabilidade gerencial, principalmente no que tange as questões financeiras. Conselhos técnicas e avaliações nas questões monetária auxiliarão na estruturação financeira da empresa.

Acompanhando as tendências tecnológicas, a contabilidade gerencial precisa adaptar a sua empresa para o compasso dos tempos.

Sucesso

O sucesso de qualquer envolvimento de produção comercial está no trabalho coletivo. Até mesmo produções individuais independentes trabalham em conjunto com a produção de materiais utilizados para determinada produção. Falando sobre a sua empresa, a parceira com a contabilidade gerencial é exatamente aquilo que tende a garantir o sucesso dela, por meio de uma boa estrutura de organização.

Explore a fidelização dos clientes em sua escola

O processo de fidelização dos clientes é fruto de um pós-venda muito bem trabalhado

Quando a maré não está pra peixe é bom que você faça um bom pescado com o que já tem. No mundo empresarial, isso significa fidelizar os seus clientes. Enquanto novos clientes para a sua empresa está difícil de se chover na hora, vender mais e mais produtos para os seus clientes fiéis é fruto de um pós-venda qualificado e bem planejado por parte da sua empresa.

Claro que, em época de recessão, o poderio de compra dos clientes diminui bastante. Cabe, então, a empresa aumentar o seu poder de negociação e fazer com que o seu cliente fiel garanta o ticket médio da empresa e mantenha a sua empresa no azul, num momento de explosão de empresas no vermelho.

Os números não mentem

Apenas 5% de retenção de clientes gera na casa de 25 a 75% de lucro, segundo pesquisas realizadas por Fred Reichheld, criador do Net Promoter Score – por sinal, a Net Promoter Score é um índice que mede a lealdade do cliente.

Por meio da fidelização, os seus clientes fieis passam a ser promotores da sua empresa em tempos sombrios de negociação, pois manterão a sua fluência e ainda promoverão a sua empresa a amigos e pessoas conhecidas. Ter clientes promotores é a representação de que a sua empresa está no caminho certo, pois pesquisas afirmam que empresas com clientes promotores estão em 80% do caminho certo para a excelência em seu atendimento.

Como fidelizar clientes

É nesse momento que entra o pós-vendas. O pós-venda nada mais é do que o pré-venda da venda seguinte. Pelo menos essa é a forma mais simples de se definir esse tipo de serviço.

A pós-venda é tão importante do que a primeira venda, até porque ela é uma venda nova, mas para o mesmo cliente. A diferença é que, no caso do pós-venda, não jogamos uma primeira impressão, mas jogamos com a decepção, caso algo dê errado.

Todo empreendedor precisa entender que a venda não se encerra no aperto de mãos e fechamento do negócio, mas, sim, que é ali que inicia-se o relacionamento com o cliente e, portanto, o processo de fidelização.

É quando o negócio é fechado que o relacionamento entre empresa e cliente se torna mais relacional, pois é a partir dali que vocês terão pontos em comum, o serviço prestado. É na hora desse relacionamento que cabe o seu pós-venda e é esse pós venda que garantirá a fidelização com o seu cliente. Um bom suporte, um atendimento atencioso e muita disposição em ajudar é meio caminho andado para fidelizar o seu cliente.

Saiba, tão importante quanto a efetivação de uma venda é o retorno do seu cliente, pois o serviço que você faz, outras empresas podem fazer. Mas, quando você gera empatia com o seu cliente, a tendência é que ele sempre retorne.

A fidelização e a aproximação caminham juntas

A fidelização passa pelo processo de aproximação entre empresa e cliente. E esse processo, para não ser invasivo, precisa acontecer com o negócio já fechado, sendo exclusivo da fidelização e, não, da venda. Passar segurança à sua empresa nesse momento é de fundamental importância, pois garantirá que ele fez a escolha certa.

Para que a sua empresa venha ser forte no pós-venda, é importante que tenha uma equipe especializada nesse sentido, se possível. Pessoas capacitadas e treinadas para focar na retenção de clientes e feedbacks.

Conclusão

A imagem positiva da sua empresa está em cases de sucesso. Como num slogan, cliente satisfeito satisfaz, também, a empresa. Isso porque a medida que a imagem da sua empresa estiver atrelada com resultados reais, as demandas tendem a aumentar conjuntamente. Isso além de que a fidelização do seu cliente representa boas indicações de leads qualificados e garantia da movimentação financeira da empresa sempre girando, mesmo quando a roda gigante do mercado estiver emperrada.

Saiba como reduzir reclamações ao abrir a sua empresa em Saltinho

Veja as sete dicas básicas para que você tome atitudes que reduzam as reclamações dos seus clientes ao abrir a sua empresa em Saltinho

Você está iniciando o seu projeto empresarial e precisa conquistar os seus primeiros clientes. Ao abrir a sua empresa em Saltinho, você precisará ter uma mentalidade que reter é tão importante quanto captar. Por isso, evitar reclamações de imediato é tão importante para a saúde da sua empresa, logo de início.

Esse artigo, pensando nisso, busca listar mentalidades que você, como empresário, precisa partir ao abrir a sua empresa em Saltinho.

1. Evite reclamações, mas não as esnobe

Toda reclamação pode ser muito prejudicial a sua empresa, quando ela está no início. Por outro lado, agradar toda as pessoas é impossível. Críticas e reclamações existirão, mais ou menos hora. Cabe a você, ao abrir a sua empresa em Saltinho, gerenciar essas reclamações da maior forma possível. Portanto, evite reclamações, mas quando elas acontecerem, valorize o retorno, embora negativo, do seu cliente.

2. Pesquisas de satisfação

Se tem um jeito que você consegue o retorno do seu cliente, sem precisar sofrer com as críticas e reclamações, são as pesquisas de satisfação. Mas para que os seus clientes cooperem, é preciso educá-los a isso. O fato de você ser uma empresa nova é trunfo para que você já crie essa filosofia em seus consumidores.

Pesquisas afirmam que apenas 4% dos clientes reclamam de algo que não gostou. A cultura dos clientes no Brasil é desprezar as empresas, cujo eles têm reclamações, sem sequer dar o direito de defesa, o feedback.

Ao abrir a sua empresa em Saltinho, então, busque o retorno positivo por meio das pesquisas de qualidade, promovendo, justamente, ações de retorno, como pequenos benefícios que os levem a contribuir com as avaliações da sua empresa. Assim, você trabalha com o seu cliente como um cooperador e não é invasivo ou enfadonho.

3. Comunicação

A sua comunicação com o seu cliente precisa ser clara e crassa. Ao abrir a sua empresa em Saltinho, você precisará ter em mente quem são os seus clientes, onde eles transitam, qual é a sua linguagem etc. Tenha um canal de comunicação que fale claramente a língua dos seus clientes, sem nenhum ruído ou desvio de linguagem. Isso tende a dar muito certo e colocar a sua empresa como opção primária das decisões dos seus clientes.

4. Busque soluções

Antes que alguns problemas chega a você, é importante que você tenha o suporte de uma equipe de solucionadores de problemas, aqueles que chamam a responsabilidade para si e encaram qualquer B.O. Ao abrir a sua empresa em Saltinho, você precisará ter uma linha de frente forte, já que, como empresário, você terá mil e umas situações diferentes para resolver por dia. Até mesmo para dinamizar o processo do seu cliente, é importante que a solução  dos problemas dele não fiquem pulando de mão em mão ou de setor em setor. Rapidez é sinônimo de satisfação para o seu cliente e você precisará prezar por ela.

5. Mas soluções consistentes

Embora a rapidez seja fundamental para o seu cliente, não adianta nada uma resolução rápida, mas “nas coxas”. Ao abrir sua empresa em Saltinho, você precisará deixar claro os benefícios e as soluções consistentes que o seu produto ou serviço trará a ele.

Tenhas boas cartas na manga, não para que você tenha razão no “embate” com o seu cliente, mas, sim, para que ele venha entender que a sua empresa pensa nele a ponto de ter um “Plano B”, antevendo uma possível falha –  afinal, somos humanos.

6. Resolva o problema da empresa

O problema do cliente pode ser facilmente resolvido quando ele muda de empresa. Agora, ao lidar com a crítica de um cliente, quem passa a ter um problema real é você. Ao abrir a sua empresa em Saltinho, evite, ou melhor, nem ouse a falar para o cliente que você está resolvendo o problema dele, mas, sim, se desculpe e resolva internamente o que está atrapalhando o crescimento da empresa.

7. Atente-se ao desempenho

Crie métricas de crescimento ao abrir a sua empresa em Saltinho. Ela irá indicar o desempenho do seu empreendimento, através de gestão de críticas e resultados. Muitos fatores podem cooperar ou atrapalhar o desempenho de uma empresa, e ter uma boa gestão de desempenho é fundamental para se ter ideia de quanto o serviço está bom e o quanto a empresa precisa melhorar.