Reforma trabalhista: será que você entendeu mesmo?

Coloque o seu departamento pessoal a par das mudanças ocorridas através da reforma que completará um ano em novembro deste ano

Regularização de jornadas de trabalho 12×36, além da regulamentação da jornada de trabalho intermitente, do serviço home office e maior flexibilização de negociações entre empresas e funcionários, e vice-versa, a reforma trabalhista foi vigorada em novembro de 2017 no Brasil e em menos de um ano no nosso país, a Lei 13.467 já deu muito o que falar e tem gerado, desde então, discussões tanto na classe empresarial, quanto entre trabalhadores. Nesses casos, cabe ao departamento pessoal aparar as arestas e trazer os funcionários para dentro da filosofia da empresa.

Muitas das regularizações e até mesmo das regulamentações à margem da legislação que foram instituídas na reforma trabalhista não são novidades para ninguém. A contratação por demanda de trabalho e o home office, por exemplo, já é muito visto através de profissionais informais. A grande mudança é que isso fazendo parte de um regime de trabalho, as coisas se tornam oficiais e a forma de trabalhar da empresa muda e, com isso, o departamento pessoal ganha a sua extrema importância e tende a entrar em ação.

Para que você venha instruir melhor o seu departamento pessoal, acompanhe este artigo e deixe-o a par da reforma trabalhista e os fatores que essa reforma tem afetado ou afetará a sua empresa.

A empresa tem seus desafios

O departamento pessoal precisará estar alinhado no que se refere ao relacionamento entre a empresa e os seus funcionários, que ao mesmo tempo que tende a estar mais próximo tende também a possuir algumas colisões de ideias.

A reforma trabalhista estreita as negociações entre as partes e a gestão de pessoas precisa estar ativa para que qualquer divergência não venha interferir no trabalho como um todo.

Para e empresa, contratar e demitir se torna um desafio, principalmente a primeira questão, pois cabe ao departamento pessoal ser muito atento e criterioso com os “poréns” dos seus funcionários antes de contratá-los.

Recrutamento de talentos

Situações como a jornada intermitente, novidade trabalhista com a reforma, também têm seus ônus empresariais, algo que muitas pessoas duvidam. Nesses casos, estabelecimentos como restaurantes, por exemplo, podem contratar seus funcionários apenas em dias de maior fluxo, que neste exemplo são os finais de semana, para isso terá de comunicá-lo com, no máximo, três dias de antecedência.

Essa estratégia faz com que o empresário não sofra tendo que pagar funcionários em dias de baixo fluxo, onde a produção não condiz com o salário pago. Mas engana-se quem acha que isso é de todo positivo a empresa. Algumas pessoas entendem essa situação como oportunidade de ter um emprego que lhe permita criar outras oportunidades de lucro em dias ociosos, mas outros funcionários veem isso como uma ameaça aos seus empregos. É aí que o departamento pessoal deverá entrar com estratégias para tornar a empresa mais atrativa, com os funcionários entendendo que são um investimento da empresa e precisam ser bem valorizados de acordo com o trabalho produzido.

Diferentes perfis profissionais

Alguns profissionais produzem de forma diferente da outra e dependendo do ramo de atuação da sua empresa cabe ao seu departamento pessoal estudar uma estratégia em que o funcionário se adéque melhor para produzir. Pensando nisso, a reforma trabalhista também regulamentou o home office, no qual os funcionários, dentro de um acordo pré estabelecido com a sua chefia, podem trabalhar da sua casa, se assim as partes entenderem que agrega positivamente no fator produção. Isso convém também as empresas que pode contar com profissionais que residem longe, até mesmo em outros estados, e não podem se deslocar até a empresa, mas podem agregar muito à sua atuação.

Para isso, o departamento pessoal precisa estar atento no perfil de cada funcionário, para que assim venha cobrar deadlines e estipular metas dentro do universo acordado entre a pessoa e a empresa.