Quanto tempo devo esperar para ver se minha empresa dará lucro em Saltinho?

Um dos questionamentos do empreendedor é saber quanto tempo ele deve esperar para que a empresa possa dar, realmente, lucro.

Quanto tempo se deve esperar para uma empresa dar lucro real?

A partir das reflexões de final de ano, tenho certeza que um dos questionamentos de um pequeno ou médio empreendedor é saber quanto tempo ele deve esperar para que a empresa possa dar, realmente, lucro.

Reafirmo que uma das competências empreendedoras (talvez aquela a ser desenvolvida continuamente) é o exercício da paciência, pois no mundo dos negócios os retornos devem ser pensados a médio e longo prazo.

Nesse sentido, a resposta para a pergunta título deste artigo é: não existe tempo exato, pois tudo depende de fatores controláveis (gestão do negócio) e incontroláveis (externos aos negócios).

Fatores controláveis

Como itens controláveis, estão os investimentos necessários para abertura e crescimento da empresa, o domínio das despesas operacionais (margem operacional), a gestão das ações cotidianas para a operacionalização do negócio e as práticas adotadas para a retirada dos sócios.

O gerenciamento efetivo desses fatores, com a criação de indicadores de lucratividade para cada um por meio de taxas de contribuição e retorno (de acordo com a natureza da atividade), pode garantir que o lucro real venha a ser percebido a curto e médio espaço de tempo.

Fatores incontroláveis

Já os fatores externos, como a sazonalidade de vendas e de comportamento do mercado, os valores cobrados pelos fornecedores, a tributação de impostos pelo Governo (seja Municipal, Estadual ou Federal), entre outros, devem ser continuamente vigiados para que as entradas financeiras (caixa) possam permitir com que o negócio opere sempre no azul e nunca no vermelho.

Habilidades para o lucro do negócio

Partindo da premissa de controle, retomo que a atividade empreendedora é desafiadora, principalmente em um país como Brasil, o que requer coragem, determinação, foco e trabalho para construção lucrativa do negócio.

Ressalto a palavra construção, pois somente a partir desse entendimento é que o tempo para o lucro real será “encurtado”. Porém, é necessário adquirir algumas habilidades:

Ter paciência

O retorno de investimento é incerto e a resiliência para as adversidades cotidianas é comportamento preponderante.

Importante ter a clareza que nos primeiros meses e anos a empresa pode não apresentar lucro, visto a necessidade de um tempo e investimento para a consolidação dos negócios. Muitos fracassam justamente por não ter paciência para esperar.

Ter foco nas vendas, e não somente nas operações internas

Saiba que nem todas as pessoas serão impactadas e influenciadas por suas ações de publicidade, o que é natural e não pode gerar frustração no empreendedor.

Torne seu produto e/ou serviço atrativo, tanto em relação às suas características e vantagens em consumir (comprar). Ter foco no atendimento de venda e pós-venda é essencial para um negócio lucrativo.

Ter um gestão financeira efetiva

Um fluxo de caixa bem gerido permite que o empreendedor possa tomar atitudes cotidianas para aumentar a margem de retorno, bem como a necessidade de cortar despesas (sempre que necessário).

Outro fator importante está, justamente, na possibilidade de novos investimentos para ampliar as vendas e renovar estoques, atendendo melhor os clientes e aumentando as entradas em caixa.

A partir dessa simples reflexão, percebemos que abrir e manter um negócio requer conhecimentos que muitas vezes nem os melhores profissionais tem – que é a autoanálise empreendedora.

Somente você, empreendedor, pode afirmar ao certo o que construir, o quanto de paciência tem para essa construção e qual tempo exato está nos seus planos para que tenha retorno do investimento.

Assim, deixo uma pergunta: qual é o tempo que você tem para esperar o lucro real do seu negócio?

Arnaldo Vhieira é coordenador do Curso de Gestão Financeira do Complexo Educacional FMU.

Fonte: http://exame.abril.com.br/pme/quanto-tempo-devo-esperar-para-ver-se-minha-empresa-dara-lucro/

Calegari Contabilidade

Contabilidade em Saltinho

Ideias inovadoras e o impacto que elas causam no seu negócio em Saltinho

Você se considera uma pessoa criativa? Enquanto as respostas a essa pergunta, com certeza, variam bastante, é importante saber que é possível sim aprender a pensar de forma mais inovadora.

Isso derruba por terra alguns conceitos errados, como o de que ser criativo é um dom que não se aprende nem aperfeiçoa.

Por outro lado, há quem ache que a inovação é superestimada, e não há nada de errado em seguir apenas o que já está bem estabelecido no mercado.

O que você acha disso? Caso também pense assim, não vá embora ainda!

Vamos te mostrar como ideias inovadoras podem impactar o seu negócio em Saltinho e o que você pode fazer para tirar proveito disso. Vamos lá!

Por que ideias inovadoras transformam o seu negócio

Antes de mais nada, é preciso entender exatamente o que significa ter ideias inovadoras de negócio, pois ainda há muitas pessoas que têm um conceito errado sobre o assunto.

O que se passa na mente de alguns ao falar em inovação é que isso envolve depender exclusivamente da criatividade e desenvolver ideias geniais o tempo todo.

Mas pensar assim cria pelo menos dois problemas. De um lado, há quem passe a achar que inovar é algo praticamente impossível.

De outro, existe aquele empreendedor que busca um milagre para salvar seu negócio mal administrado, e pensa que a resposta está nesse conceito distorcido.

Longe disso, inovar é simplesmente encontrar uma forma diferente  —  e normalmente mais eficaz  —  de resolver problemas ou gerar valor para alguém.

E como isso pode transformar seu negócio? De muitas formas! Por exemplo, é possível aplicar esse pensamento na melhoria de processos internos, salvando tempo e recursos da empresa.

Além disso, você também pode encontrar novas formas de atrair e fidelizar clientes, aumentar as margens de lucro, transportar seus produtos com maior agilidade e assim por diante.

Sempre há algo a ser melhorado, e ter ideias inovadoras está entre as melhores formas de fazer isso.

9 dicas para te ajudar a ter mais ideias inovadoras

Está convencido de que ter ideias inovadoras é realmente um caminho interessante a seguir para ter mais sucesso com o seu empreendimento?

Agora chegou o momento de aprender algumas técnicas que te ajudarão a pensar de forma criativa com mais frequência e formar uma verdadeira cultura inovadora na empresa.

Veja 9 maneiras práticas de estimular o fluxo de ideias e fomentar a transformação no cotidiano da empresa:

Busque soluções em lugares diferentes

Fuja da ideia de que basta olhar para o mundo dos negócios ou para o seu próprio nicho de mercado a fim de encontrar as melhores soluções.

Esse pode ser um fator limitador na sua criatividade e poder de inovação. Antes, busque lugares bem diferentes do que está acostumado.

Pode ser desde um nicho totalmente diferente de mercado, a natureza, o mundo dos esportes, a cultura de outro país ou continente, qualquer coisa que te ajude a “sair para bem longe da caixa”.

Quer um exemplo de como isso funciona tão bem? Alguns dos produtos mais incríveis que existem hoje foram criados com base em criações e obras da natureza.

Esse é o caso do helicóptero, que imita as características de um Beija-flor.

O fato é que observar diferentes áreas de interesse expande os horizontes e é um dos melhores estimulantes para a criatividade.

Pratique o brainstorming

O brainstorming é uma das práticas mais conhecidas e utilizadas por quem deseja usar o pensamento criativo nas decisões de negócios.

Sua popularidade é tão grande também por se tratar de uma prática já antiga, e que tem se mostrado muito eficiente em empresas de todos os portes e segmentos ao longo do tempo.

Nós até recomendamos que você se aprofunde melhor nas técnicas mais indicadas de brainstorming, a fim de tirar o máximo possível dessa estratégia.

Há diversas técnicas diferentes de brainstorming, assim como alguns hábitos que devem ser evitados, mas o principal é entender o problema em questão e discutir soluções possíveis.

Mesmo sugestões que parecem completamente descartáveis podem servir como ponto de partida para a solução ideal e definitiva.

Abra sua mente para novas experiências

Além de realizar atividades profissionais que te permitam desenvolver um fluxo criativo maior, é importante também investir em experiências pessoais que contribuam para isso.

Como isso é possível? Por exemplo, ao sair para se divertir, por que não deixar os programas de sempre e buscar algo novo, diferente?

Que tal trocar de restaurante para variar? Tentar aquele hobby que você sempre teve curiosidade, mas nunca tinha tempo?

Tudo isso faz contribui para o processo de criação e servirá de base para que novas ideias lhe venham à mente quando menos estiver esperando.

Saiba até onde é possível arriscar

Ser arrojado também significa correr riscos de vez em quando, isso é inevitável.

Afinal de contas, inovar envolve percorrer territórios inexplorados ou escolher caminhos inusitados para sair na frente da concorrência.

Porém, causar impacto está longe de ser aventureiro e colocar tudo em risco só em nome da intuição. É preciso aliar a experiência e o conhecimento que você já tem com dados e análises precisas.

À partir daí será possível tomar boas decisões e saber até onde vale a pena arriscar em nome de uma ideia diferente.

Por outro lado, é preciso ter paciência até que as ações realizadas deem resultado, o que torna essencial ter um pensamento coerente e equilibrado, a fim de estabelecer esse limite.

Como resultado disso, você conseguirá criar como que um filtro ao longo do tempo, identificando com mais facilidade o que tem mais ou menos chances de dar certo.

Se cerque de pessoas inovadoras

Já falamos aqui sobre como é importante cultivar uma cultura inovadora no dia a dia do negócio, e isso passa diretamente pelas pessoas que você terá a sua volta.

Afinal, são as pessoas que fazem a empresa, certo? São elas que definem como atacar os problemas e gerar valor para os clientes todos os dias.

Logo, é impossível ter uma cultura de inovação sem pessoas que tenham essa mentalidade e estejam preocupadas em criar algo diferente, que possa mudar as regras do jogo.

Só assim é possível realmente explorar as possibilidades do pensamento inovador, quando ele está integrado em cada processo e há espaço para que as ideias provem seu valor por meio de resultados.

Mas e se o seu time já está formado, e não tem por hábito ser inovador?

Busque outras fontes de inspiração e aprendizado, consumindo conteúdo que estimule a criatividade e sirva de inspiração para que você continue.

E, por fim, coloque em prática o que está aprendendo, por fazer de si mesmo a figura que vai contagiar a todos na equipe a pensar diferente.

Simplifique o seu trabalho diário

Pode não parecer, mas complicação gera complicação, e essa é a última coisa que você precisa para ser inovador. Como assim?

Quanto mais complexa e bagunçada for a sua rotina, mais difícil será ter ideias que simplifiquem e facilitem a vida e o trabalho de outros.

Por isso, comece eliminando algumas das complicações diárias mais comuns: organize melhor sua agenda, deixe seu ambiente de trabalho em ordem, etc.

Você vai notar como será mais fácil pensar em soluções práticas e interessantes quando o ambiente em volta estiver melhor arrumado.

Se aprofunde nos problemas que pretende resolver

Podemos dizer que é impossível ter ideias inovadoras e que realmente funcionem sem conhecer a fundo os problemas que elas devem solucionar.

Não basta entender a situação de modo superficial, é necessário se aprofundar bastante e coletar o máximo de informações possíveis. Por quê?

Em certos momentos, os detalhes que parecem mais irrelevantes são os que carregam a chave para o problema.

Dessa forma, não deixe de procurar informações e entender bem o problema antes de tentar encontrar uma saída para ele.

Aprenda com a história

A história tem muito a nos ensinar a respeito de como um pensamento inovador pode resultar em grandes benefícios para a humanidade.

Isso pode ser usado nos negócios, desde que você encontre alguns exemplos disso e aprenda com eles. Novamente, não se prenda só a histórias de negócios.

Nem é preciso buscar apenas histórias que mudaram a história da humanidade.

Se você buscar saber mais sobre as experiências passadas de outros empreendedores que conhece, já estará aprendendo com a história deles.

Enxergue além do óbvio

Por último, um empreendedor inovador e criativo age como um jogador de xadrez. Como assim?

Um xadrezista tenta sempre prever as jogadas de seu adversário e planejar suas jogadas com algumas rodadas de antecedência.

Da mesma forma, busque prever como o mercado em que você está vai se comportar nos próximos meses e anos.

Quais problemas vão surgir? O que os concorrentes podem tentar para resolvê-los?

Esse pequeno exercício vai te ajudar a desenvolver uma visão mais completa e pensar em soluções mais inteligentes.

Sem dúvida, ter ideias inovadoras pode fazer toda a diferença no desempenho de um negócio. E cada uma dessas dicas vai ajudar você a se sair bem nesse respeito, traçando estratégias certeiras, encontrando soluções e respostas onde outros só veem problemas e dúvidas.

 Calegari Contabilidade

Contabilidade em Saltinho

6 passos para iniciar bem o seu novo negócio em Saltinho


A abertura e o gerenciamento de empresas exigem um conjunto de habilidades e conhecimentos. É preciso entender o mercado, o público e planejar bem o negócio.

Passo a passo

Uma boa gestão considera estratégias de marketing, um fluxo de caixa controlado e passa também por muita criatividade e inovação.

O Sebrae criou um roteiro para facilitar a abertura da sua empresa. Conte com o Sebrae no ambiente online, no atendimento presencial e bom proveito!

1. Saiba que negócio abrir em Saltinho

Você quer se tornar um empreendedor mas não sabe por onde começar ou que negócio abrir? Então, visite os menus Ideias de negócios e Tipos e Ramos. Confira sugestões de como ganhar dinheiro, descubra o que é preciso ter para montar um negócio e veja como o Sebrae classifica e apoia a atividade escolhida.

2. Veja se você tem perfil

Para tornar um negócio realidade, é preciso ter perfil empreendedor, conhecer a realidade do mercado e organizar um plano de negócios. Comece a pesquisar mais sobre isso e procure o Sebrae na sua cidade para obter ajuda.

3. Reúna informações sobre o negócio

Em seguida, você precisa coletar informações para dar subsídio consistente à criação da empresa. Acesse a página Reúna informações e saiba quais dados pesquisar e como fazer o levantamento.

4. Organize-se

A terceira iniciativa é organizar as informações coletadas. O menu Conheça o mercado lhe ajudará a construir o plano de negócios e a definir estratégias para posicionar corretamente a empreitada no mercado.

5. Saiba como obter crédito para o seu negócio

Na página Como obter crédito você encontra dicas de gestão financeira e descobre como conseguir aportes financeiros para as suas necessidades profissionais.

6. Coloque a mão na massa

A última etapa é registrar o negócio e torná-lo realidade. Visite o menu Registre a empresa e saiba o que é necessário para formalizar o empreendimento.

Começar Bem

O Começar Bem é um programa ideal para os potenciais empresários que possuem uma ideia de negócio ou já têm experiência em trabalhar por conta própria.

O foco do projeto é munir os empreendedores de conhecimentos e técnicas essenciais para iniciar e desenvolver uma empresa competitiva, lucrativa e sustentável.

Fonte: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/sebraeaz/6-passos-para-iniciar-bem-o-seu-novo-negocio,a28b5e24d0905410VgnVCM2000003c74010aRCRD

Calegari Contabilidade

Contabilidade em Saltinho

5 regras do empreendedorismo que os iniciantes ignoram em Saltinho


Amar o seu próprio negócio é essencial, mas não deixe que a paixão o cegue. Veja o que você deve (e não deve) fazer em Saltinho!

Quem nunca sonhou em abrir um negócio, ser seu próprio chefe e ganhar muito dinheiro? Essa é, sem dúvida, a vontade de muitos brasileiros. Mas é preciso cuidado para que o desejo em excesso não ofusque a importância de seguir algumas regras básicas do empreendedorismo, evitando que você enfie os pés pelas mãos.

“O empreendedor brasileiro é diferente dos empreendedores de países desenvolvidos. O brasileiro não quer empreender, ele tem a necessidade de fazer isso”, diz Fabiano Nagamatsu, consultor do Sebrae. “Às vezes, ele está tão focado em acertar que acaba pecando em coisas básicas, e se dá mal.”

Para ajudar você a não errar na hora de montar um negócio próprio, listamos abaixo cinco regras do empreendedorismo que os iniciantes ignoram, mas não deveriam.

1 – Ame seu negócio, mas não cegamente

É essencial o envolvimento com o negócio que você está abrindo, mas a falta de planejamento pode te levar à falência em pouco tempo, como explica Caroline Caracas, coach de empreendedorismo e negócios e sócia-diretora da Marketing Minds e do Programa Empreenda-se.

“Não dá para ficar cego por amor. É preciso ter um modelo de negócio. Não é uma cartilha que tem que ser seguida à risca, mas o empreendedor precisa traçar diretrizes, estudar riscos, não dá para fazer o negócio acontecer de olhos fechados”, diz.

Segundo Caroline, o segredo para o modelo funcionar é a flexibilidade. “Você monta um esquema, mas quando vai para o campo de batalha, ele muda. Tem problemas que vão surgir somente quando você começa a colocar o negócio em prática, e é nesse momento que você vai ajustar seu modelo. Por isso é importante ter uma base, não partir do zero.”

2 – Não deixe o conhecimento de lado

Se identificar com o produto ou serviço que você está oferecendo é essencial, mas além da paixão é preciso ter conhecimento. “Você pode amar vestuário infantil, por exemplo, mas não vai sair abrindo lojas de vestuário infantil se esse for um mercado que está retraindo”, diz Caroline.

A recomendação da coach é que você não foque seus esforços em ter uma ideia inovadora, mas sim que tenha a sensibilidade para identificar no seu dia a dia quais as necessidades das pessoas, quais os problemas que elas estão enfrentando, e o que você poderia fazer usando seus conhecimentos para ajudá-las.

“Tem que alinhar uma dor, um problema, com uma solução que tenha a ver com seus pontos fortes”, diz. “O empreendedorismo tem muito mais relação com o propósito, com a pessoa querer melhorar algo ou torná-lo mais eficaz, do que com a ideia de criar uma máquina de dinheiro”, afirma.

3 – Chefe, pero no mucho

Para Nagamatsu, do Sebrae, muitos dos novos empreendedores pecam no comportamento. “Não pode achar que é fácil empreender. É preciso ter em mente que ter um negócio próprio vai exigir que você trabalhe muito mais do que trabalharia se fosse funcionário de alguém.”

Quando você é funcionário de uma empresa e passa mal, por exemplo, alguém vai substituí-lo. Já se você é o dono de uma fábrica e fica doente, não vai ter alguém para assumir sua função, lembra o consultor do Sebrae.

Marco Aurélio Ribeiro, gerente nacional de empreendedorismo e internacionalização do Ibmec, ressalta que o dono de um negócio também não deve tratar sua ideia como um grande segredo.

“Não pode tratar todo projeto como se tivesse descoberto a fórmula da bomba atômica. Você deve ser otimista, sim, e acreditar no negócio, mas antes de sair defendendo o modelo é preciso descobrir primeiro se ele é realmente bom. É preciso ser crítico em relação a sua própria empresa, e pedir opiniões”, diz.

4 – Você vai precisar de mais dinheiro

Uma regra básica do empreendedorismo que muitas vezes acaba sendo esquecida pelos iniciantes é pensar no capital de giro. Não basta levantar o dinheiro para colocar o negócio de pé se você não dispor de recursos para mantê-lo depois.

“Vai levar um bom tempo até que o negócio ande com as próprias pernas. Até lá, você tem que se garantir financeiramente”, afirma Ribeiro, do Ibmec.

Para a coach Caroline, tudo tem que estar na ponta do lápis. “Quando a pessoa vai deixar de ser funcionária para abrir o próprio negócio, tem que fazer um fundo de transição antes. Recomendo que ela tenha um valor que garanta no mínimo um ano de contas fixas do negócio pagas.”

Nagamatsu, do Sebrae, lembra que a eventual indisponibilidade de crédito pode piorar a situação de quem não se planejou. “Para entrar no mercado, tenho que vender a prazo, mas pagar à vista, já que a oferta de crédito costuma ser restrita a quem está começando.”

5 – Saiba vender seu peixe

Esta é talvez a regra mais importante de todas: dê atenção ao marketing. Isso não inclui somente separar um dinheiro para propaganda do produto ou serviço oferecido, mas também ter tempo suficiente para pensar em estratégias de como atrair novos clientes.

“Sem clientes, não tem negócio. Essa é a chave de tudo”, diz Caroline. “Minha dica é a pessoa se dedicar a aprender marketing digital. Antigamente, você precisava pagar uma agência para divulgar seu negócio. Hoje, você pode fazer isso por conta própria na internet, especialmente em redes sociais.”

É claro que, para atingir um bom resultado, será preciso esforço e estudo, completa a coach. “Não é só ficar postando coisas a esmo. É preciso planejar os posts, comprar anúncios que vão atingir um público segmentado, o seu público-alvo. O empreendedor que domina marketing digital hoje em dia sai na frente.”

Fonte: http://exame.abril.com.br/pme/5-regras-do-empreendedorismo-que-os-iniciantes-ignoram/

Calegari Contabilidade

Contabilidade em Saltinho

Quer abrir negócio em Saltinho? Clínica popular e produto de beleza bombaram em 2016

contabilidadeSaúde, beleza e bem-estar foi o setor que mais cresceu em empresas com franquias em 2016, com uma alta de 15,5%, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Isso representa quase o dobro do crescimento médio de todos os negócios franqueadas. O faturamento das franquias como um todo cresceu 8,3% em média, indo de R$ 139,593 bilhões em 2015 para R$ 151,247 bilhões em 2016.

A ascensão de redes de clínicas médicas populares, a utilização de novos canais de venda (porta a porta), além da entrada de novas marcas e de grandes players no mercado favoreceram esse desempenho do segmento de saúde e beleza. As marcas Hinode, Quem Disse, Berenice? e Sobrancelhas Design são exemplos desse crescimento.

Serviços automotivos em segundo lugar

A categoria de serviços automotivos teve o segundo melhor índice de crescimento, registrando 11,6% de variação, devido à expansão do mercado de veículos seminovos no ano passado. Entre as marcas que exemplificam esse bom desempenho, estão Bono Pneus, Jet Oil e Make-up Estética Automotiva.

O segmento de moda ficou em terceiro lugar, alcançando um crescimento de 10,4% na comparação com 2015. A oferta de novos produtos, as estratégias de promoção e a expansão das redes são fatores que explicam esse crescimento. As marcas que ilustram o bom desempenho no segmento são Clube Melissa, Hope Lingerie e Jorge Bischoff.

Alimentação manteve seu bom desempenho e, com receita 8,8% maior em relação ao ano anterior, ficou em 4º lugar. O segmento lançou mão de promoções e da diversificação de canais de venda, como aplicativos. Cacau Show, Chiquinho Sorvetes e Mania de Churrasco são marcas que exemplificam esse crescimento.

Crescimento de 3,1% em número de unidades

Segundo a pesquisa da ABF, em 2016, o número de unidades de franquias em operação no país totalizou 142.593, uma expansão de 3,1% frente a 2015, quando foram registrados 138.343 pontos de venda.

Fechamento aumenta e chega a 5,1%

A taxa de mortalidade (fechamento de unidades) no ano foi de 5,1%, maior do que em 2015, quando foi de 4,4%.

“Com a retração do PIB e do consumo de forma geral, houve um aumento desse indicador dentro da margem esperada. Além de estar sempre alerta, este é o momento que o empreendedor deve estar próximo à operação e ao franqueador para realizar as ações necessárias com agilidade”, explica Claudio Tieghi, diretor de inteligência de mercado da ABF.

Empregos diretos somam mais de 1,192 milhão

Mesmo com um mercado de trabalho ainda em retração, o franchising conseguiu manter o nível de empregabilidade no setor. De acordo com a pesquisa, foram registrados no ano passado 1.192.495 trabalhadores diretos no sistema de franquias ante 1.189.785 em 2015, o que representa uma variação positiva de 0,2%.

Número de redes diminuiu

De acordo com o levantamento, o número de redes de franquia em atividade no Brasil no ano passado foi de 3.039, registrando um decréscimo de 1,1% em relação a 2015, quando havia 3.073 marcas.

Segundo o presidente da ABF, o dado revela um maior amadurecimento do franchising brasileiro, em que há menos marcas com mais unidades. “O mercado norte-americano, o maior do franchising mundial, é um exemplo disso. Segundo o World Franchise Council, os Estados Unidos são o quarto país do mundo em número de redes, mas o primeiro em unidades de franquia. Temos também que levar em conta movimentos de fusões e aquisições e o fortalecimento de holdings de franquias”, diz Altino Cristofoletti, presidente da ABF.

Fonte: http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2017/02/14/quer-abrir-negocio-clinica-popular-e-produto-de-beleza-bombaram-em-2016.htm

Calegari Contabilidade

Contabilidade em Saltinho