Como os serviços de contabilidade te ajudará a vender mesmo desmotivado?

Através dos serviços de contabilidade você conseguirá descobrir o que motiva a ambição às vendas da sua empresa

A crise financeira nacional se tornou um grande dificultador do mercado comercial brasileiro, mas se engana quem pensa que tudo é culpa da crise. O grande desafio entre as empresas atualmente é encontrar espaço para vencer em meio a uma concorrência tão intensa, já que muitas empresas têm perdido seus clientes e precisam ir à caça em busca de outros para não se prejudicar financeiramente. E é na hora da caça que entendemos que as vendas e os serviços de contabilidade andam lado a lado.

A sua empresa precisa se posicionar de forma relevante as demais, justamente para vender. Mas para vender, você e os seus funcionários precisarão estar alinhados aos serviços de contabilidade.

Posicionamento atual

Lembram daquele desenho “Corrida Maluca”? Então, a impressão que dá muitas vezes é essa quando olhamos para diversos segmentos de mercado. Várias empresas correndo, mas sem saber aonde querem chegar, e é aí que começa a desmotivação.

Quando se coloca muito esforço em algo que tende a não dar resultado, a tendência é que tanto a equipe quanto o departamento se desmotive com as negativas, o que respinga na produtividade da empresa.

Como mudar a postura

As coisas começam a mudar a partir do momento em que há uma união da gestão da empresa com os serviços de contabilidade, isso tudo porque é através desses serviços de contabilidade que estão armazenados toda a natureza de dados e estatísticas sobre a empresa. Esses dados vão direcionar melhor o entendimento da gestão quanto as falhas e aumentarão a assertividade em novas estratégias.

Os serviços de contabilidade farão, então, todo o mapeamento estratégico da empresa no momento atual, bem como as perspectivas futuras e momentos positivos do passado, para comparação. É nesse momento que a empresa começará dimensionar uma nova perspectiva, justamente quando buscar dentro dos momentos em que as coisas davam certo uma estratégia para que elas voltem a ser positivas, utilizando de mecanismos que deixaram de ser usados ou até mesmo adaptando-os temporalmente e dentro do material humano que se encontra.

Na montagem da estratégia, cada qual precisará ser montada em conformidade com cada detalhe, para buscar situações motivacionais que agreguem com a busca de resultados que a empresa procura.

No final, um balanço para a manutenção e a atualização constante de estratégias, bem como o olhar micro e macro dentro da sua empresa, visando entre o coletivo e o individual, mas passando também pelo departamental, é muito importante para o sucesso da empresa.

Conclusão

As vendas tendem a ter o fator motivacional totalmente interligado, mas motivar não é função tão fácil como se parece, cabe a gestão da empresa pensar em estratégicas que conversem com a parte técnica, afinal, contra fatos não há argumentos e no mundo empresarial os fatos são comprovados através de número, fator intensamente trabalhado pelos serviços de contabilidade.

Assessoria Contábil: como investir nesse no mundo online

Vender pela internet é o grande filão do momento, mas você precisa estar bem atento no que fará. Confira essa assessoria contábil que, assim como a tendência, é digital

Atualmente, muita gente têm investido no mundo e-commerce, ou seja, vendas pela internet. Para se ter uma noção, segundo a Assessoria Brasileira do Comércio Eletrônico esse setor cresceu 12% em 2017, movimentando aproximadamente 60 bilhões de reais. Desta forma, o nosso intuito com esse artigo é justamente promover uma assessoria contábil sobre o tema nos mesmos moldes, online. Afinal, muita gente acha que por saber usar a Internet, fazer compras virtuais etc, também pode abrir uma empresa virtual em qualquer momento, o que não é bem assim.

  • Sim, vale a pena

Apostar no mundo digital vale a pena, mas, sempre tem um mas. Só o fato de você apostar no universo digital não é garantia de sucesso, mas, sim, é necessário um bom planejamento por trás, no qual será trabalhado de forma semelhante a empresa física com foco na eficácia do atendimento e na entrega, que no caso dos negócios físicos são instantâneos e no case virtual precisará se alinhar a uma logística. Em todos os casos, é muito importante passar, antes de tudo, por um processo de assessoria contábil para enquadrar o seu projeto a sua realidade financeira.

  • Dá pra se ter um negócio virtual mesmo sem conhecer de TI

Conhecer sobre programação não é fator fundamental para se ter uma empresa virtual, isso porque dificilmente você terá que desprender o seu tempo programando. É importante que você tenha por trás do projeto uma assessoria contábil, que justamente vai te pontuar se é melhor terceirizar esse departamento de programação ou se é melhor que a empresa tenha o próprio, até para evitar transtornos e ter o departamento sempre disponível ao suporte.

Mas uma coisa que é muito boa de ser separada é o negócio virtual sendo um negócio exclusivamente virtual ou ele sendo uma extensão de algum negócio físico. Em todos os casos, você precisará passar por uma assessoria contábil antes de colocar qualquer projeto em ação.

  • As relações entre o físico e o online

Uma coisa em comum entre o ambiente físico e o online é que em ambos o cliente que entra na sua loja ou site quer ter uma boa primeira impressão. No que tange ao mundo físico, se trata da organização da loja e do atendimento ao cliente, já no mundo virtual refere-se a um design atrativo e um suporte efetivo.

A grande diferença é a forma de divulgação, já que no universo virtual temos a relação entre mecanismos de busca e divulgação em redes sociais que precisam ser bem trabalhadas para gerar acessos e consequentes compras, enquanto no mundo físico outras estratégias e meios de comunicação são determinantes no processo de expansão da marca.

Em todos os casos, independentemente da popularização do e-commerce no mundo todo, o negócio dificilmente terá sucesso se não passar por uma logística bem estruturada. E essa logística passa totalmente pela parte financeira, logo, uma assessoria contábil adequará seus recursos ao projeto.

Saiba como uma contabilidade [na_cidade] pode te ajudar a abrir o seu negócio

Através da consultoria com a contabilidade [na_cidade] você terá as estratégias necessárias para superar o tempo médio das empresas no Brasil

Como tudo na vida, o planejamento é o primeiro passo antes de tomar qualquer atitude, e no campo empresarial não é diferente. Entretanto, quando se trata de planejamento empresarial um grande braço de auxílio é a contabilidade [na_cidade].

De acordo com a Pesquisa de Sobrevivência das Empresas do Brasil realizada em 2016 pelo SEBRAE, a média de sobrevivência das empresas brasileiras é de 77%. Mesmo assim, segundo a Global Entrepreneurship Monitor (GEM) o Brasil ainda é um dos países do mundo que mais empreende. Claro que ultimamente o número de empreendedores, principalmente individuais (os chamados MEIs), têm crescido por conta da crise financeira, já que empreender a cada dia tem se tornado uma opção para aqueles que não têm perspectiva de encontrar um emprego CLT.

Mas engana-se quem acha que o empreendedor está suave, fará seu horário e terá uma gama de funcionários trabalhando para si. Isso é uma ilusão. O chefe geralmente é o primeiro a chegar e o último a sair, dono de todas as responsabilidades e que precisa ter sob o seu domínio todo o planejamento da empresa. E é por isso que o auxílio da contabilidade [na_cidade] é fundamental para a saúde do negócio.

Veja a seguir, dicas importantes para que você venha a buscar na contabilidade [na_cidade] um apoio para abrir o seu negócio da forma correta.

Plano de negócios

É importante que o passo a passo da sua empresa seja estipulado para reduzir os riscos da abertura. É nesse momento que a contabilidade [na_cidade] irá destrinchar o segmento do negócio, o que a empresa vai oferecer, o capital, o faturamento e a estimativa prévia de lucro.

Capital

Entende-se como capital, todo o valor aplicado ao projeto (de tempo, dinheiro e recursos em geral). Esse valor pode ser aplicado por terceiros (investidores), mas para isso o projeto da empresa precisará estar clarividente e esse traçado financeiro tende a ser construído adequadamente pela contabilidade [na_cidade].

Pró-labore

Todos os meses será tributado um valor aos proprietários da empresa, esse valor está ligado diretamente ao Importo de Renda e a contribuição à Previdência.

Concorrência

Tão importante quanto você conhecer a sua empresa é você conhecer a sua concorrência e, para isso, a contabilidade [na_cidade] precisará fazer um traçado de mercado onde os pontos fortes e fracos dos seus concorrentes é muito relevante.

Publicidade

Nos dias atuais, os mecanismos de publicidade ficaram mais intensos por meio da era digital, mas isso não significa que a questão da divulgação está resolvida. A contabilidade [na_cidade] irá observar o seu público-alvo de modo geral para saber onde você depositará os esforços da sua divulgação, até porque o erro de divulgação significa falha de gestão.

Por que fornecer benefício de alimentação aos seus colaboradores?

A resposta pode estar no fato de que os benefícios de alimentação pode gerar diversos outros benefícios para a sua equipe

Em combate à fome e a desnutrição, o Governo Nacional lançou, na década de 70, uma lei direcionada às empresas privadas, fomentando os benefícios de alimentação das empresas para com os seus funcionários. A Lei foi promulgada em 1976 e é uma via de mão dupla, já que o foco é a contribuição a trabalhadores de menor renda (até cinco salários-mínimos), mas por outro lado as empresas que entram nessa toada têm vantagens fiscais.

O fato é que o funcionário basicamente está na sua empresa para colocar a comida na mesa da sua família, esse é o principal ideal de cada pessoa como ser humano, além mesmo da filosofia da empresa, o que é natural. Garantir minimamente os benefícios de alimentação, seja o vale-refeição diário ou o vale-alimentação mensal trará uma tranquilidade incrível para o seu colaborador.

Por isso, nesse artigo traremos quatro pontos de vista para que você entenda a importância dos benefícios de alimentação aos funcionários da sua empresa.

Isenções fiscais

A empresa que se empenham em contribuir com programas de benefícios em alimentação estarão isentas dentro do valor investido no Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) em declaração do Imposto de Renda e na Previdência.

Evita riscos

Com a crise financeira, cerca de 60% dos trabalhadores em nosso país deixaram de fazer suas refeições em restaurantes e lanchonetes, segundo a Alelo. Esse número preocupa, pois a falta de benefícios de alimentação pode levar os seus funcionários a riscos físicos e de desempenho. Por exemplo, os funcionários que irão substituir o almoço por um lanche ou alimento fora de padrões saudáveis podem, com o tempo, serem acometidos por doenças e eventuais afastamentos, o que é péssimo tanto olhando para o ser humano, quanto olhando para o funcionamento da empresa. Fora que os funcionários que substituem o hábito de comer fora por fazer a tradicional marmita, podem correr riscos de utilizar o tempo que não tem, roubar minutos de sono, descanso e consequentemente se sentir cansado e desmotivado no ambiente de trabalho.

Relacionamentos

Nesse sentido, o benefício da alimentação dos funcionários não se encontra propriamente em encher a barriga, mas, sim, no valor pessoal. De duas, uma, ou a empresa que fornece os benefícios de alimentação possui internamente um refeitório ou têm restaurantes em suas proximidades. Em todos os casos, os funcionários que têm horário de almoço próximos entre si poderão criar um hábito de proximidade através de fazerem suas refeições juntos.

Benefícios Simples

Colocar em prática o Programa de Alimentação do Trabalhador é muito mais simples do que se parece, até porque os vales (alimentação e refeição) são benefícios de alimentação acessíveis e de fácil integração com a empresa.

Reforma trabalhista: será que você entendeu mesmo?

Coloque o seu departamento pessoal a par das mudanças ocorridas através da reforma que completará um ano em novembro deste ano

Regularização de jornadas de trabalho 12×36, além da regulamentação da jornada de trabalho intermitente, do serviço home office e maior flexibilização de negociações entre empresas e funcionários, e vice-versa, a reforma trabalhista foi vigorada em novembro de 2017 no Brasil e em menos de um ano no nosso país, a Lei 13.467 já deu muito o que falar e tem gerado, desde então, discussões tanto na classe empresarial, quanto entre trabalhadores. Nesses casos, cabe ao departamento pessoal aparar as arestas e trazer os funcionários para dentro da filosofia da empresa.

Muitas das regularizações e até mesmo das regulamentações à margem da legislação que foram instituídas na reforma trabalhista não são novidades para ninguém. A contratação por demanda de trabalho e o home office, por exemplo, já é muito visto através de profissionais informais. A grande mudança é que isso fazendo parte de um regime de trabalho, as coisas se tornam oficiais e a forma de trabalhar da empresa muda e, com isso, o departamento pessoal ganha a sua extrema importância e tende a entrar em ação.

Para que você venha instruir melhor o seu departamento pessoal, acompanhe este artigo e deixe-o a par da reforma trabalhista e os fatores que essa reforma tem afetado ou afetará a sua empresa.

A empresa tem seus desafios

O departamento pessoal precisará estar alinhado no que se refere ao relacionamento entre a empresa e os seus funcionários, que ao mesmo tempo que tende a estar mais próximo tende também a possuir algumas colisões de ideias.

A reforma trabalhista estreita as negociações entre as partes e a gestão de pessoas precisa estar ativa para que qualquer divergência não venha interferir no trabalho como um todo.

Para e empresa, contratar e demitir se torna um desafio, principalmente a primeira questão, pois cabe ao departamento pessoal ser muito atento e criterioso com os “poréns” dos seus funcionários antes de contratá-los.

Recrutamento de talentos

Situações como a jornada intermitente, novidade trabalhista com a reforma, também têm seus ônus empresariais, algo que muitas pessoas duvidam. Nesses casos, estabelecimentos como restaurantes, por exemplo, podem contratar seus funcionários apenas em dias de maior fluxo, que neste exemplo são os finais de semana, para isso terá de comunicá-lo com, no máximo, três dias de antecedência.

Essa estratégia faz com que o empresário não sofra tendo que pagar funcionários em dias de baixo fluxo, onde a produção não condiz com o salário pago. Mas engana-se quem acha que isso é de todo positivo a empresa. Algumas pessoas entendem essa situação como oportunidade de ter um emprego que lhe permita criar outras oportunidades de lucro em dias ociosos, mas outros funcionários veem isso como uma ameaça aos seus empregos. É aí que o departamento pessoal deverá entrar com estratégias para tornar a empresa mais atrativa, com os funcionários entendendo que são um investimento da empresa e precisam ser bem valorizados de acordo com o trabalho produzido.

Diferentes perfis profissionais

Alguns profissionais produzem de forma diferente da outra e dependendo do ramo de atuação da sua empresa cabe ao seu departamento pessoal estudar uma estratégia em que o funcionário se adéque melhor para produzir. Pensando nisso, a reforma trabalhista também regulamentou o home office, no qual os funcionários, dentro de um acordo pré estabelecido com a sua chefia, podem trabalhar da sua casa, se assim as partes entenderem que agrega positivamente no fator produção. Isso convém também as empresas que pode contar com profissionais que residem longe, até mesmo em outros estados, e não podem se deslocar até a empresa, mas podem agregar muito à sua atuação.

Para isso, o departamento pessoal precisa estar atento no perfil de cada funcionário, para que assim venha cobrar deadlines e estipular metas dentro do universo acordado entre a pessoa e a empresa.